quinta-feira, 15 de junho de 2017

Sobre ganhar mais uma do cruzeiro e sobre ser muito líder

Num primeiro tempo que o Cruzeiro optou por não fazer nada, esperar acabar para fazer o Corinthians se abrir na etapa final, o que de mais produtivo se viu foi a consciência tática de rodar a bola até a defesa abrir. O gol - junto com outras duas oportunidades de bola parada - dá um alento pra esse fundamento que temos aproveitado pouco...

Do segundo tempo, algumas coisas que se pode tirar: quando paulo roberto jogar (um dos piores que já vimos pela direita), seremos atacados por ali; tomando pressão, se viu GA caminhando, o que é inadmissível; impressionante, e Carille acaba de falar disso na coletiva, a capacidade que tivemos de trabalhar a bola, mantendo a posse, agredindo e no campo de ataque, por sequencias de mais de dois minutos.

No mais, o abafa final era esperado, só achamos que queimar a bola tão fácil, e não deixar o tempo passar com o jogo nos pés, é (ou um dia será) um tiro no pé.

No mais, são 19 em 21 pontos. Muito Significativo. Boas perspectivas se traçam.

(e vale uma nota final sobre uma postagem dos gaviões acerca do preço cobrado para os visitantes. Sempre criticamos o abuso, e nossa gestão começa a mostrar que seguirá essa mesma prática que, se é mercadológica, não é do futebol, não é social, e não é humana. Nosso repúdio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário