quinta-feira, 23 de agosto de 2012

pequena taça do mundo

texto do citadini (aqui reproduzido sem qualquer interesse político) que nos foi apresentado pelo companheiro richard, do obrigatório http://republicadocorinthians.wordpress.com




Pequena taça do mundo



Neste mês de agosto, lembramos que há 59 anos, em 1/8/1953, em um sábado, o Corinthians conquistou uma de suas mais importantes vitórias no âmbito internacional.
No período em que não existiam as atuais competições continentais, o Timão participou da chamada “Pequena Copa do Mundo de Clubes”, reunindo as maiores equipes da Europa  (Barcelona e Roma) e dois representantes das Américas.

No jogo inicial, a primeira grande surpresa: o Corinthians venceu o Barcelona – então considerado o grande favorito da competição – pelo placar de 3×2.
Luisinho (2) e Carbone fizeram os gols do nosso time,  e Kubala  e Moreno para o Barça.

No jogo seguinte, o Timão ultrapassou a Seleção de Caracas (que reunia o melhor do futebol local), por 2×1.  Claudio e Carbone fizeram os gols corinthianos. Em novo jogo o alvinegro brasileiro  venceu o poderoso Barçelona por 1×0 em partida tumultuada com uma briga generalizada  que interrompera o jogo por quase 20 minutos.  Goiano, marcou o gol da vitória.
Já com o título na mão, o Timão  venceu, novamente a seleção de Caracas (2×0,) com dois gols de Cláudio. Na partida final – no jogo da festa- o Corinthians bateu a poderosa Roma por 3×1 com gols de Luisinho(2) e Cláudio.
Foi uma conquista que marcou a história do Clube e as matérias da época retratam bem o entusiamos dos torcedore por tão belo feito.

Essa geração de jogadores merece sempre ser lembrada.
No ano seguinte, conquistariam o tão famoso IV Centenário de São Paulo, em título inesquecível da nossa história. Gilmar, Cabeção,  Homero, Olavo, Goiano, Julião, Roberto Belangero, Claudio, Luisinho Carbone, Baltazar, Nardo e Mário  tornaram-se ídolos eternizados por tão emblemático título paulista.

Creio que destes campeões dos anos 1950 só continuam entre nós Cabeção, Julião e Gilmar (este muito doente).
Os demais deixaram uma imensa saudade nos corações dos corinthianos.
Que vivam para sempre!