quinta-feira, 30 de junho de 2011

Falso Moralismo

mais um ótimo retrato da revolução corinthiana (original aqui)




Tem um samba do mangueirense Nelson Sargento que se dedica aos cidadãos que praticam o título acima. Clique aqui pra ouvir a música com o Paulinho da Viola.

Esta canção bem serve de tema musical para as semanas que mobilizaram a hipocrisia e a medida correta do ódio ao Clube do Povo.

Só esta raiva explica o comportamento de alguns vereadores de São Paulo no episódio da aprovação das leis de incentivo ao Fielzão e a cobertura dada pela mídia cor-de-rosa ao assunto.

Falo sobre isso como paulistano exilado, mas nem por isso desconectado das coisas da nossa Paulicéia.

O que esteve em votação na Câmara foi o seguinte: o Corinthians quer usar um benefício JÁ EXISTENTE para o desenvolvimento da Zona Leste de São Paulo. Para isso precisa de uma autorização que transforma 420 milhões a serem pagos de impostos à Prefeitura em títulos, vendidos no mercado financeiro. O recurso proveniente da venda dos títulos vai para o Fielzão.

Esta lei foi aprovada durante a gestão Marta Suplicy com o objetivo de levar investidores e desenvolvimento a uma das regiões mais carentes da cidade. Itaquera tem quase 500 mil habitantes sem acesso ao essencial, como segurança, saúde, cultura e lazer. Sim, porque a gente não quer só comida – já ensinaram os Titãs.

O mesmo veio de preconceito e ódio ao povão que assistimos há algumas semanas no episódio da Gente Diferenciada e a construção do Metrô em Higienópolis, voltou a se manifestar.

Desta vez escamoteado de preocupação com o “dinheiro público”.

Alguém consegue explicar porque um shopping center pode se beneficiar desta lei – legítima e correta – mas o Corinthians não?

Por que a renúncia fiscal vale para financiar esportistas em todo o país (que também está certo!) e não o estádio do time mais popular de São Paulo? Mais do que isso: por que um centro de lazer e cultura do tamanho que terá o Fielzão, incrustado num dos bairros mais carentes da cidade, não pode receber incentivos fiscais?

Pergunto mais: por que é legítimo usar R$ 3 bilhões de DINHEIRO PÚBLICO para construir um monotrilho entre algum lugar e o Panetone?

Vi os reaças de sempre argumentando que o Monotrilho seria uma propriedade do Estado – e não particular.

Achei coerente. Estes mesmos caras sempre defenderam que o Estado Brasileiro tem que construir coisas para aquela mesma meia dúzia. Por esta lógica, um monotrilho do Estado apropriado pelos mais ricos da cidade é correto. Mas um clube “particular” ser proprietário de um bem apropriado pelos milhões de paulistanos mais pobres não tem cabimento.

Essa foi a história deste país, desde Cabral até o dia que um peão resolveu virar a mesa.

O que eles não sabem é que o Brasil mudou.

Agora é a vez do Povo: Vai Corinthians!

[Festa] Comemoração dos 42 anos do Grêmio Gaviões da Fiel Torcida

Na próxima sexta-feira (01/07) iremos comemorar os 42 anos dos Gaviões na sede da Rua São Jorge. À partir das 19:00, rolará muito samba, churrasco e Corinthians.

Nossa sede também estará aberta durante todo o dia com a lojinha e o bar da Rua.

Contamos com a presença de todas as quebradas e coletivos para podermos comemorar o 42º aniversário dos Gaviões da Fiel.

Compareçam!!!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

resumão das piadas com as bixas, notas do jogo e o bahia

resumão da piada-pronta com a bixarada:

* Milan tem Pato, sardinhas tem Ganso e o bambi ceni um frango.

* se o santos tem jogo adiado por compromisso importante, as meninas da vila sônia também deveriam ter folga de tabela na parada delas...

* Jogadores do SP em entrevista pós-jogo: "Queríamos levar de 4. O quinto foi inesperado!"

* rogerio ceni no pós jogo: "claro que nao foi frango, é que de 4 só no vestiário..."

* rogério ceni no pós jogo: "a chuva no jogo nao influenciou os jogadores, mas borrou a maquiagem da torcida, principalmente na paulista..."

* rogério ceni no pós jogo: "penso muito em minha aposentadoria... se deus quiser, montarei uma granja..."

* não percam amanha, no programa de receitas da palmirinha: frango à la ceni!

* rogério ceni no pós jogo: "se não fosse jogador de futebol seria cheff do frangão..."

* toda minha solidariedade ao rogério ceni, que acaba de ser internado em função da gripe aviária...

* coitado do lula que nem consegue mostrar pros outros o placar do jogo...

* ‎1 é pouco, 2 é bom, 3 é demais, 4 é massacre, 5 é São paulo, 6 é palmeiras e 7 é santos !!!!!

* Segundo a previsão do tempo, São Paulo pode chegar a 5 graus na madrugada de hoje. Pô São Paulo, mais 5?

* sem mais depois dessa, é cada um no seu devido lugar, se tivessem dado WO e ficado na parada nao passariam essa vergonha... É A RUA MANÉ!




nota do blog: mesmo no 11 contra 11, a disposição do time impressionava e mostrava que a goleada poderia acontecer de qualquer forma... exceto por algumas falhas de cobertura na ala esquerda e de alguns (3, pra sermos precisos) passes errados bestas do lateral esquerdo que precisa de um titular...

com um a mais, pena que foi só 5. Para nós, além da graça de humilhar as dondoquinhas arrogantes, vale a piada que é vê-las passando uma semana inventando desculpas e subterfúgios para o placar. E mais, e mais importante: é mais um capítulo vitorioso da luta do povo contra a burguesada anticorinthiana, e nossa supremacia é gritante desde 1913!

hoje, com o bahia desfalcado, é dia do time superar o cansaço e mostrar que realmente não teremos oba-oba pela vitória.

E VAI CORINTHIANS!

Corinthians, o único (por juca kfouri)

Corinthians, o único

Quando ganha, quando perde e até nos triunfos dos rivais, o alvinegro mostra ser clube único

ÚNICO INVICTO entre os paulistas neste Campeonato Brasileiro; único time a derrotar, e golear, o líder São Paulo até aqui; único a jamais ter feito a festa que os santistas fazem pela terceira vez, assim como os tricolores já fizeram outras três e os palmeirenses ao menos uma; este é o Corinthians, único também entre os grandes de São Paulo sem casa própria.

E foi no Pacaembu, na casa que virou sua sem sê- -la, que o Timão se aproveitou dos desfalques são-paulinos e o venceu sem dificuldades depois que o tricolor ficou com dez em campo, ainda no primeiro tempo.

Os 5 a 0 foram a exata tradução da superioridade alvinegra, coroada com olé e uma infinidade de bolas entre as pernas.

Pois o Corinthians é tão grande, e aparentemente tão mais importante que os rivais, embora não possa concorrer com nenhum deles na relevância dos troféus conquistados, que impressiona como nenhum de seus adversários festeje coisa alguma sem fazer questão de lembrá-lo.

Se é ainda polêmica a tese freudiana sobre a inveja que a mulher teria do pênis, parece indiscutíveis os ciúmes que o tamanho da torcida corintiana desperta em seus concorrentes.

Porque não há outra explicação para as inúmeras agressões à nação corintiana em meio aos mais que justificados festejos praianos, assim como acontece quando a festa é alviverde ou tricolor – ou até mesmo rubro-negra e colorada (de norte a sul).

Se é raro que o Corinthians tenha uma direção que chame a atenção por suas qualidades, como na época dourada da “Democracia Corinthiana”, é frequente que se vejam apontados entre os defeitos do seu comando os mesmos que se apresentam nos demais clubes.

E se o Corinthians não é o único dos grandes paulistas a conhecer a segunda divisão, só ele ganhou o primeiro Mundial de Clubes da Fifa, apesar de também apenas ele ter o título contestado.

Quem sabe um dia o Corinthians seja visto como mais um, depois de ganhar sua Libertadores e inaugurar o seu estádio, sobre o qual, com razão, pairam as mesmas críticas que um dia recaíram sobre o Morumbi, justa ou injustamente.

Porque imaginar o Corinthians com torcida menor do que alguém em São Paulo é perda de tempo, o que deixa um único caminho aos rivais: o de se dar conta de que se nem festa são capazes de fazer sem lembrar a existência corintiana é porque importante mesmo é quem é sempre lembrado.

(Coluna publicada na “Folha de S.Paulo de ontem e excepcionalmente aqui publicada).

terça-feira, 21 de junho de 2011

sobre o estádio e a inveja da bixarada

domingo em corinthians, nos restou matar o dia nas velhas conversas de buteco com quem mais não tinha futebol pra ver, ou não se importava - e nem se importa - com a equipe feminina, transmitida na tv ao vivo do ceará...

no ápice da mais frequente de nossas discussões, chegamos ao estádio de itaquera e à celeuma que envolve concessões, isenções, benefícios fiscais e afins...

novamente, foi ponto pacífico da conversa que a fiel quer e merece ter seu estádio, mas que este tem que ser feito sem mamata, sem gastança pública. O que é muito diferente de receber benefícios legalmente constituídos, como os CIDs e os demais incentivos desenvolvimentistas concedidos a investimentos na zona leste.

a discussão, como não poderia faltar, chegou no mini-bambi marco aurelio cunha, aquele que só aparece na televisão quando a situação está favorável ou interesse às meninas, mas que nunca chama a responsabilidade quando é realmente necessário. Resumindo, um babaca pipoqueiro.

Ocorre que esse expoente da raça cor-de-rosa valeu-se de seu cargo de vereador para, em 2009, mover associações de moradores e outros expoentes do povo para inviabilizar a concessão do pacaembu ao corinthians, solução que o blog entendia como melhor para todas as partes, mas que sucumbiu aos interesses ocultos impostos pelo (mau)elemento em questão.

Agora, o mesmo sujeito aparece questionando a legalidade e a legitimidade do que o poder público pode vir a oferecer ao Corinthians. Se esquece que a atual situação não é a mesma do morumbi, erguido com 100% de financiamento estatal, quando a oligarquia paulista mandava nas terras da vila sônia e usou do cargo e do povo para dar às meninas uma casa. Esquece, também, que as mariposas da vila sônia ja se valeram dos mesmos benefícios, e pior, em uma obra que não vinha acompanhada de melhorias no entorno ou poderia oferecer retorno aos cofres públicos, como se projeta para itaquera, sobretudo com a copa (veja mais aqui).

Claro que nao se trata de interesse político, mas meramente clubístico, atitude egoística mesmo. E dum ser que sequer pode dizer que é verdadeiramente bambi ou preocupado com a municipalidade; seu trabalho no futebol é empregatício, já foi feito no figueirense e pode vir a ocorrer a quem mais pagar... mas enquanto a vila sônia o der votos, ele agirá pela nação feminina.

é o que diz nosso camarada guilherme pappi, que abaixo reproduzimos, cujo blog, espírito corinthiano, está linkado ao lado, junto com a fonte donde tiramos texto (aqui):




Domingo tem mais um Capítulo da Luta de Classes
Por Guilherme Pappi

Neste domingo haverá mais um capítulo da Luta de Classes do Time do Povo contra as Madames. Será a 291º partida numa história em que os Trabalhadores do Parque São Jorge têm amplo histórico de vitórias contra o clubeco da burguesia decadente paulistana. Ao todo, 111 vitórias, 92 empates, e 88 vitórias delas, que perdem inclusive para os empates.

Trata-se de uma Luta entre Classes que têm papeis diferentes na sociedade: uns produzem, outros - através de métodos que em última instância é a força das Armas, e das Leis que regem as Armas - roubam o trabalho social para usufruto próprio. E esse é o povinho da Vila Sônia, escondido no estádio do morumbi, que tem proximidade mais do física com o palácio do governo do estado de são paulo, e todas as negociatas que dalí surgem.

E assim é que se crioou uma das mais bizarras anomalias da paupérrima vida parlamentar paulistana: a figura do ex-médico das Madames, o ex-Superintendente de Futebol do spfw, Marco Aurélio Cunha. Pit Bitoca foi eleito pelo reacionário e nascido do regime militar DEM, sarcástica e cinicamente cunhado "democratas", em 06 de Outubro de 2008 com a única tarefa de brigar com todas suas forças são-paulinas contra a decisão do município de são paulo em entregar o Pacaembu a iniciativa privada, quando o Corinthians era o maior interessado, no segundo semestre de 2009. Agora, mesmo recebendo salário do conjunto da população, continua trabalhando nem tão disfarçadamente para Juvenal Juvêncio e sua sanha elitista ao tentar de todas as maneiras lutar contra o Estádio Corinthiano em ITAQUERA. Marco Aurélio Cunha, do DEM, se elegeu para lutar contra o Corinthians e contra ITAQUERA, numa declarada guerra contra nós, Povo Trabalhador.

Por outro lado, outro parasita do Poder Público, João Paulo de Jesus Lopes, que "coincidentemente" é sub-secretário de transportes metropolitanos do estado de são paulo e - pasmem! - vice-presidente das Madames da Vl Sônia, os bambis, quer construir com dinheiro do contribuinte um monotrilho de 3 bilhões de reias, valor de cinco estádio do Corinthians, para beneficiar o já historicamente beneficiado Morumbi.

Domingo temos mais um capítulo dessa histórica Luta de Classes: nós somos da Companhia de São Jorge! Elas são parasitas do poder público corrompido.
Dentro de campo e fora de campo vamos defender o CORINTHIANS e defender ITAQUERA!!!!!! Itaquera será mártir na luta e exemplo a ser seguido pelas populações trabalhadoras na busca pela sua emancipação econômica e cultural.

Fora Parasitas do poder público corrompido! Fora falido tricolor da burguesia decadente paulistana!

Contra Tudo e Contra Todos,

Aqui é Corinthians!

Aqui é ITAQUERA!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

tabela do corinthians no campeonato brasileiro

26.06 - CORINTHIANS X bixarada

29.06 - bahia x CORINTHIANS

06.07 - CORINTHIANS x vascú

10.07 - atlético-go x CORINTHIANS

14.07 - CORINTHIANS x internacional

17.07 - botafogo x CORINTHIANS

24.07 - CORINTHIANS x cruzeiro

31.07 - avaí x CORINTHIANS

03.08 - CORINTHIANS x américa-mg

07.08 - atlético-pr x CORINTHIANS

10.08 - sardinhas x CORINTHIANS

14.08 - CORINTHIANS x ceará

17.08 - atlético-mg x CORINTHIANS

20.08 - CORINTHIANS x figueirense

28.08 - porcu x CORINTHIANS

31.08 - CORINTHIANS x grêmio

04.09 - curitiba x CORINTHIANS

07.09 - CORINTHIANS x flamerda

11.09 - fluminense x CORINTHIANS

18.09 - CORINTHIANS x sardinhas

21.09 - bixarada x CORINTHIANS

25.09 - CORINTHIANS x bahia

02.10 - vascú x CORINTHIANS

09.10 - CORINTHIANS x atlético-go

12.10 - CORINTHIANS x botafogo

16.10 - cruzeiro x CORINTHIANS

23.10 - internacional x CORINTHIANS

30.10 - CORINTHIANS x avaí

06.11 - américa-mg x CORINTHIANS

13.11 - CORINTHIANS x atlético-pr

16.11 - ceará x CORINTHIANS

20.11 - CORINTHIANS x atlético-mg

27.11 - figueirense x CORINTHIANS

04.12 - CORINTHIANS x porcú

sábado, 11 de junho de 2011

elenco e numeração para o brasileiro

1 - Júlio César
2 - Alessandro
3 - Chicão
4 - Leandro Castán
5 - Ralf
6 - Fábio Santos
7 - Willian
8 - Paulinho
9 - Liédson
10 - Adriano
11 - Emerson
12 - Alex
13 - Paulo André
14 - Ramírez
15 - Moradei
16 - Denner
17 - Morais
18 - Welder
19 - Elias
20 - Danilo
21 - Edenílson
22 - Danilo Fernandes
23 - Jorge Henrique
25 - Wallace
27 - Nenê Bonilha
28 - Gauther
29 - Fran
30 - Renan
31 - Vinicius
32 - Lucão


(nota do blog: ainda bem que há possibilidade de mais inscrições, pq essa lista aí é bem mais ou menos...)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

protesto da ant em gioania - 04.06.2011

o futebol é do povo - Associação Nacional dos Torcedores

segue texto que a Associação Nacional dos Torcedores distribuirá antes do jogo despedida do gordo, amanhã (07.06.2011) no Pacaembu:



Copa para quem?

Em 3 anos, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em nome dela tudo
passou a ser permitido: aumento no orçamento de R$ 2 bi para R$ 6 bi,
obras sem licença ambiental, trabalhadores em condições precárias e
remoção de lares para passagem de novas vias. Enfim, qual será o
legado dessa Copa?

O torcedor já sente a diferença: ingressos bem mais caros, acordos de
transmissão sem concorrência, extinção de setores populares e gradual
eliminação da cultura torcedora. Vá ao jogo – sem contar com transporte
público, impraticável –, consuma produtos licenciados e vá embora: é o
que querem de nós. Durante a semana, jogos às 22h, que dificultam a
volta pra casa e afastam quem acorda cedo no outro dia.

Se já está assim hoje, a Copa do Mundo, afinal, será para quem? Mutilar
nossas cidades, mudar a vida de milhares de famílias, financiando tudo
com dinheiro público e, no final, nos deixar de fora dos estádios, vale
mesmo a pena para nós, povo brasileiro?

A Associação Nacional dos Torcedores, não tem só perguntas. Se você
também acha que uma outra Copa é possível, que o futebol é do povo,
nosso patrimônio cultural, junte-se a nós! Visite nosso site e participe de
nossas campanhas. Vamos fazer da cidade um imenso caldeirão à nossa
moda: popular e para todos, até que nos escutem.

www.torcedores.org.br
www.torcedores.org.br/saopaulo
www.facebook.com/ANTsp
www.twitter.com/ANTsp
associação nacional dos torcedores

sábado, 4 de junho de 2011

estádio do corinthians: a real preocupação que a fiel deve ter

30 de maio de 2011: dia em que, enfim, tiveram início as obras onde futuramente estará construído o estádio do Sport Club Corinthians Paulista.

Contudo, e no melhor exercício de nosso papel fiscalizador, nós, acima de tudo corinthianos, temos que ficar atentos à realidade da obra e às projeções de suas conseqüências ao povão, elemento essencial da alma de nosso time.

Devemos, pois, tomar por base a carta aberta pela qual o presidente Andres Sanchez, na véspera de nosso centenário, anunciou não somente que teríamos nossa casa, mas que a faria com base em diversos estudos de custo e viabilidade, pelos quais deixava à construtora Oderbrecht o dever de erguer nossa arena, para 48.000 torcedores, captando junto ao BNDES o custo-referência de R$ 335 milhões.

Ocorre que tal proposta deixou de existir. Do estádio para o Corinthians, passamos a vislumbrar um estádio para a abertura da Copa do Mundo de 2014, o que nos onerava com aumento da capacidade de público e cumprimento de uma série de exigências da FIFA para participação no evento.

Num primeiro momento, o valor global da obra pulava para um bilhão de reais, o que representa aumento de 198% em cima do valor original, praticamente o triplo do previsto. A diretoria alvinegra pretende chegar num teto de R$ 650 milhões, aceitando um acréscimo de 94% no orçamento.

Nosso presidente sempre repetiu que o projeto é de um estádio para o Corinthians, e que qualquer alteração, mesmo que motivada pela Copa, não seria arcada pelo clube, que também não aceitaria, em qualquer hipótese, verbas públicas a fundo perdido, o chamado dinheiro do povo. Contudo, os novos valores estão na mesa, já deixaram por vencido o original, e nada se falou acerca de quem e como se fecharão as contas.

De acordo com os termos iniciais apresentados pelo Corinthians, se a Oderbrecht captasse mais que R$ 335 milhões, o excedente viria para o clube; se captasse menos, nossas receitas cobririam a diferença. Mas e agora, com um custo no mínimo dobrado, como será feito financiamento e a quitação da obra? Quem avalizará o valor integral e quais garantias o Corinthians entregará ao financiador?

Não sabemos.

Sabemos, porém, que o estudo de demanda inicial de nosso estádio prevê arrecadação em torno de R$ 100 milhões anuais. Para tanto, se considerarmos que a nova arena terá, num ano, a mesma quantidade de jogos de 2010, no Pacaembu, cada jogo terá que render cerca de R$ 3 milhões, o que implica num ingresso médio de R$ 75,00 para uma média anual de 40.000 pessoas por jogo.

Caso a média de público se mantenha igual a de 2010, 24.606 pessoas considerando paulista, libertadores e brasileiro, o valor do ingresso sobe para cerca dos R$ 125,00:




A tabela acima implica em duas possibilidades: novo estádio com setores “populares” vendidos a preços caríssimos, ou redução dos setores populares, que atualmente correspondem a 70% do Pacaembu, considerando arquibancadas verde e amarela, setor família e tobogã, trocados por tribunas, camarotes e afins, visando atrair um público que arque com ingressos elevados e sustente o plano inicial de arrecadação – o que, diga-se, não tem ocorrido no Pacembu.

Setorizacao Pacaembu



E a possibilidade de majoração nos ingressos é real e constante na gestão Sanchez: em 2009, quando da contratação de Ronaldo, o presidente afirmou categoricamente que não aumentaria os setores populares. Bastou um mês, entretanto, que os R$ 15,00 subiram para R$ 20,00, até atingirem os atuais R$ 30,00 em 2010.

Nos setores mais caros, a variação foi ainda maior, razão pela qual o torcedor de numerada migrou para arquibancada e tobogã, tirando dali o ‘povão’ habitual e mudando, inclusive, o perfil do torcedor popular, como cada vez mais temos visto no Pacaembu.

Variacao dos ingressos por setor - Pacaembu



Assim, mais do que fiscalizar o cumprimento dos prazos e a correção dos andamentos de nosso estádio, devemos questionar à diretoria como a conta dessa obra será paga, para que, num breve futuro, não tenhamos que ver nosso patrimônio, nossas categorias de base e nosso departamento de futebol comprometidos e sucateados para arcar com dívidas contraídas numa órbita fora de nossa realidade.

Devemos questionar, também, como se dará nosso papel na nova casa: queremos nosso espaço em quantidade suficiente para abrigar a imensidão que possui a fiel torcida, num valor condizente à realidade econômica do verdadeiro torcedor corinthiano, ou seja, setores populares a preços populares.

É o que o povo corinthiano merece. Lutemos por isso!

E vai Corinthians!



• Tabelas e estudos desenvolvidos pela Associação Nacional dos Torcedores (www.torcedores.org.br)