quinta-feira, 2 de setembro de 2010

festa do centenário

Lutando pra conseguir um post à altura do centenário que nos chega, foram páginas e mais páginas escritas e apagadas de Corinthians; idéias rabiscadas em guardanapos de bar; divagações que se perderam entre conversas, cervejas e jogos por aí; e intenções da melhor qualidade... intenções de devolver em um único texto todas as emoções que o Sport Club Corinthians Paulista proporcionou a mim ao longo desses meus quase 28 anos de vida...

Foram exatamente essas intenções de escrever o melhor texto do mundo que me fizeram lembrar que não são minhas palavras que nos farão medir a grandiosidade desse dia... porque imensurável que é nossa grandeza, pretensioso demais seria querer retratar neste blog o que este centenário representa na história do Brasil, no mundo do futebol e especialmente na vida de cada um de nós, maloqueiros e sofredores.

O retrato de nossa história é incrível desde sua pedra fundamental... nela, no nosso eterno Bom Retiro, onde hoje nos encontraremos mais tarde, é que acho que podemos fazer a grande reflexão do que representam esses 100 anos...

Ao chegarmos no marco de nossa fundação, num bairro que ainda é pobre e operário, como era naquelas eternas 19:10 de 1º de setembro 1910, visualizemos as ruas de chão batido, as estrelas das noites de lampião... sintamos no ar o brio daqueles trabalhadores marginalizados pela elite provinciana, que, deixados ao léu do crescimento econômico que chegava em terras paulistanas, privados foram também daquele esporte bretão que conquistava nossas terras...

Mas que conquistava pela via errada, que teimava em entrar pela porta da frente, altivamente burguês, olvidando-se do povo... pior: olvidando-se de ser do povo, de ser sinônimo de igualdade, integração, inclusão, democracia...

Só que haviam ali aqueles operários e a gana de não aceitar tal marginalização, de pular o alambrado dos campos de várzea e fazer com que o povo tivesse seu time de futebol, de fazer com que o povo, por meio de seu esquadrão, invadisse o quintal daquela opulência arrogante e tirasse deles troféus e títulos, tudo pelo caminho da superação de cada operário que acreditou no clube, que trabalhou por sua existência, que hasteou sua bandeira, que gritou seu nome, que honrou suas cores e que acreditou que dava ao povo o futebol, que fazia o time do povo, centenariamente do povo, seria para sempre do povo!

E dificuldades foram muitas: golpes que tentaram nos excluir dos principais campeonatos, crises financeiras, más gestões, filas... até rebaixamento encaramos. E, mesmo com tudo isso, somos grandes... não... somos os maiores, temidos, invejados, respeitados... SOMOS CORINTHIANS.

Quem pode descrever um clube que, mesmo ante tantas dificuldades, cresceu gradualmente ao longo dos anos, valendo-se das crises para arrebanhar mais fiéis, para mostrar que força e superação são dons potencializados pelos movimentos de massa? Quem pode criticar uma torcida que ganha jogo, fiscaliza, apóia incondicionalmente, comparece em todos os estádios do mundo, faz carnaval e ainda tem consciência de seu papel social, trazendo seguidores menos favorecidos para projetos de inclusão social e capacitação?

O que dizer de um esquadrão que peitou a ditadura e foi pioneiro em fazer do esporte meio de propaganda da redemocratização? E como criticar um grupo de fanáticos que fez valer seu direito natural de reunião e expressão para brigar por anistia ampla, geral e irrestrita, e ainda briga por inclusão social, reforma agrária e direitos humanos?

Time do povo, campeão mundial, campeão dos centenários, campeão dos campeões....

Corinthians, o mínimo que posso fazer é dedicar aos seus cem aniversários os vinte e oito de minha vida, e garantir que minha parte continuará sendo feita, nossa bandeira tremulará sempre, nossa corrente jamais será quebrada, e jamais nos esqueceremos de onde viemos... teu passado é uma bandeira, teu presente é uma lição, e as glórias do teu futuro são tão certas quanto é tua grandeza!

Vai Corinthians e parabéns nação!


ah... como não podia deixar de ser, o time do blog esteve na festa:

Nenhum comentário:

Postar um comentário