quarta-feira, 15 de setembro de 2010

brasileirão - fluminense X corinthians

à parte os exageiros de se falar em final a 17 rodadas (51 pontos) do fim do campeonato, temos, essa noite no buraco do Engenhão, o jogo mais importante do Brasileirão, sem dúvidas...

de cara, saímos sem chicão, que faz imensa falta em nossa zaga (alias, nao que seja recorrente no paulo andré, que vem se mostrando um bom reserva, nunca vi chicão levar caneta de ninguém... alias, pra tomar chapéu, só quando não valia nada). Sem dente, que é (muito) mais jogador que o iarley, e sem ronaldo, o que, talvez, fosse melhor mesmo no Maracanã, já que o campo grande e o jogo aberto podem favorecer o jogo de velocidade, um tanto dificultado em dimensões normais como as do engenhão.

Contudo, com roberto, ralf e alessandro, a proteção da defesa melhora, ainda que hoje precisemos de mais atenção dos volantes, pq por mais que ralf caia em um dos meias, o que sobrar será deco, conca ou valência. No esquema de jogo do fluminense, o 3-6-1 da marcação gira para 3-5-2 no ataque, quando um dos três que sabe jogar com bola forma a dupla com washington.

Normalmente é o conca, porque fica um avante pela esquerda, onde o apoio é mais fraco, e deixa o lado direito pra deco + mariano.

Nada impossível de se anular, pelo contrário. E mais: o costado do meio campo, em que somente roberto bob cobre o ataque, e a avenida mariano, coberta pelo sanguinário zagueiro-assassino-cuja-meta-de-vida-ainda-é-achar-por-onde-cortou-o-gil andré luis é excelente para contra golpes.

E mais: com a bola nos pés, nosso fluxo de jogo deve encaixar contra um time de marcadores pesados, principalmente quando o diguinho não joga - como hoje.

O que não pode mais são os gols perdidos. E faltas: ambos os times correm sérios riscos com faltas perto da área, e tomara que hoje o paulo andré se lembre disso (e marque o conca sem botes secos...)

preocupa o complicado simon, do qual vale repetir o comentário do Blog Preto e Branco: "O confronto da próxima quarta-feira promete ser tão equilibrado quanto o retrospecto entre os clubes, o perigo iminente fica a cargo do trio que apitará a partida. O caseiro Carlos Eugênio Simon será auxiliado pelo rei da interferência Roberto Braatz e pelo nonsense Alessandro Alvaro Rocha de Matos. São árbitros com certo status midiático, mas que costumam influenciardiretamente nos resultados. Haja coração, amigos!" (in www.noticiasdocorinthians.com.br/blogs/larissa_beppler/perigo_iminente#ixzz0zd9bQogL)



a nota triste do jogo fica, mais uma vez, a cargo da organização...

conforme alertou o companheiro joaci (@vaaicorinthians), a pm do rio avisou que, "por questões de segurança", nossa torcida somente poderá entrar no engenhão no apito inicial do juiz...

segurança de quem? vão segurar as caravanas longe do estádio, como nos últimos jogos no rio, e somente permitir que as caravanas se aproximem do palco de jogo em cima da hora? como ocorreu na copa do brasil e no brasileiro do ano passado, vão permitir que nossa torcida fique confinada nos onibus, vetada de ver o jogo mesmo com ingresso nas mãos, e fazer com que chegue atrasada, o que causa, invariavelmente, correria, empurra-empurra etc?

Segurança de quem? torcedores que chegarem cedo por conta própria ficarão ao deus-dará naquela biboca do engenhão, que só não é mais nojento que são januário, à mercê da boa vontade dos policiais cariocas e demais cariocadas?

às vezes, a impressão que dá é que a polícia força situações para provocar tumulto e "criar" motivo pra usar da força contra civís que viajam, gastam o que não tem, somente para acompanhar seus times.

e fora de nosso Estado a coisa piora: as polícias de fora (este blog ja teve sérios problemas em goiania, bh e recife, e conhece pessoas que passaram vários apertos no rio, ano passado) parecem agir de modo a intimidar o time/torcida de fora, como se isso fosse estratégia de jogo... não é... primeiro, é cercear o direito constitucional de ir e vir; segundo, é burlar mesquinhamente o direito de todo cidadão, agora previsto no próprio estatuto do torcedor, de adentrar com segurança a praça desportiva (aliás, conforto, modicidade, segurança e livrre acesso ao setor adquirido são direitos do torcedor e deveres do time mandante, e, nessa lógica, considerando que o esforço policial ocorre sempre a pedido das federações e da equipe da casa, existe responsabilidade jurídica por isso, sim)

e mais: essa coisa de não deixar chegar cedo e obrigar a sair faltando 15 minutos nada mais é do que um jeitinho dado pela polícia para mascarar a própria incompetência: eles devem, sim, manter a paz e as devidas condições de uso do entorno do local de jogo e demais locais onde possa haver conflito. Fazer com que a torcida de fora veja apenas parte do jogo para que não haja contato, além das barbaridades configuradas nos termos do parágrafo anterior, é mostrar para o mundo que não consegue exercer sua função e prefere, em vez de se adaptar, punir terceiros, diretamente interessados no evento.

não estamos pregando a violência, pregamos melhorias, adequação e humanização. Se torcedores não costumam colaborar, que o exemplo seja dado de cima para baixo. E cito dois exemplos:

1. tratado dignamente - isso inclui ser convidado, junto com outros torcedores que chegaram cedo à porta da arena da baixada, anos atrás, a conhecer a sede da fanáticos, e ciente de que a escolta da caravana até o estádio fora bem recebida, ninguém cogitou zuar o banheiro da arena, levar azulejos como lembrança pra casa, saquear o bar ou jogar merda em curitiba.

2. essa de um amigo bambi, que chegou com caravana pra final da libertadores desse ano, ocasião em que a pm gaucha foi receptiva e educada: ninguém quebrou nada e não houveram intercorrências graves.

É simples, mas não é facil.

mas tomara que para hoje nao ocorra o acima relatado...

Nenhum comentário:

Postar um comentário